Qual é diferença entre conteúdo e história?

Entender a diferença entre conteúdo e história é o primeiro passo para você criar boas histórias. Vejo muita gente confundindo os dois. "Ah Joni, não precisa de roteiro pois temos o conteúdo pronto".


Ouço isso com frequência. O que a pessoa está dizendo é que ela tem alguns insumos de diversas naturezas, jogou num PPT e acha que já tem um roteiro.


Confundir conteúdo com história é o mesmo que confundir lata de tinta com obra de arte.


O conteúdo são as latas de tinta que você, sua marca ou empresa possuem. É o histórico, os acontecimentos, os dados, enfim, tudo que fez e faz parte da sua vida, sem trama, sem conexão e claro, sem história.


São insumos que isoladamente não significam nada.


Para criar um roteiro você vai precisar saber que tinta usar, como usar e fazê-la combinar com outras para resultar numa obra que transmite uma mensagem, tem um significado e é relevante para a audiência.


Acumular experiências todos conseguem. Transformar estas experiências em histórias que sejam interessantes e gerem identificação, muito poucos sabem.



Você achar que está preparado(a) para criar uma história que seja poderosa só porque se comunica e já "consumiu" muitas ao logo da sua vida é o mesmo que achar que pode compor uma música só porque já ouviu milhares delas.


É preciso sim técnica e conhecimento dos princípios de uma boa história. Alguns fazem isso de forma natural, intuitiva e sem ter a consciência de "como" estão criando. Outros realmente tem muita dificuldade de transmitir suas ideias, seja no papel, num e-mail, num bate papo ou naquela apresentação que vai definir o destino da empresa.


Mas ambos, quando tiverem consciência das técnicas e princípios, podem usar seu repertório (as latas de tinta!) para então criar a obra de arte.


Robert McKee, maior autoridade na arte da escrita para o cinema, foi meu sócio e representei seus conceitos aqui no Brasil. Aprendi muito com ele.


Robert McKee e eu
Robert McKee e eu

E uma das frases dele, que dizem muito sobre este assunto de conteúdo X história é quase um mantra pra mim:


De um instante à eternidade, do intracraniano ao intergaláctico, a estória da vida de todo e qualquer personagem oferece possibilidades enciclopédicas. A marca de um mestre é selecionar apenas alguns momentos, mas nos dar uma vida inteira. ROBERT MCKEE

O que é um filme? A vida sem as partes chatas. É a seleção de momentos numa sequência costurada, que nos conduz a uma experiência de empatia com um protagonista e suas dificuldades.


Para escrever um roteiro, seja para a telona, para a TV ou mesmo para uma apresentação corporativa, você precisa antes de tudo pesquisar em cima do conteúdo que tem disponível. Mas antes dessa pesquisa vem a premissa, a ideia que vai governar todo o seu trabalho.



Se eu escolho escrever sobre um relacionamento de amor, quase impossível, que ensina sobre ser autêntico e verdadeiro, e tudo isso vai acontecer num navio que afunda no final, temos aí a premissa de Titanic.


Um filme que não é sobre um navio que afundou ao bater num iceberg mas sim sobre uma protagonista (Rose) que aprende a ir atrás dos seus sonhos e viver a vida com mais autenticidade. E o "professor" é o Jack.


Da próxima vez que você for fazer uma apresentação, lembre-se que conteúdo pode ser tudo e história é algo que você criou para fazer o olho da audiência brilhar. Escolha bem as latas de tinta que são necessárias para que sua obra seja realidade. E então, execute-a com maestria.


Mas Joni, e o tal de Marketing de Conteúdo? É então o marketing "de lata de tinta"? Esse é um assunto para outro post. Mas a resposta é sim. Cuidado também ao usar esse nome e achar que está criando um universo de histórias. Não, você não está. Em outras palavras: STORYTELLING IS THE NEW MARKETING.


155 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo