Buscar

O Verdadeiro Storytelling

Se imagine no trabalho discutindo sobre como deixar uma apresentação chata, mais interessante (poderia ser um vídeo, uma campanha, um discurso ou um texto). Você e sua equipe chegam à conclusão de que é preciso trazer mais emoção.


E eis que surge a palavrinha mágica: “storytelling”.


Sem conhecer muito bem as técnicas, e realmente o que ela significa, você joga no Google, abre alguns artigos e todos eles começam dizendo a mesma coisa: “storytelling é a arte de contar histórias”.


Ligeiramente incomodada com a explicação um tanto quanto óbvia, você continua sua leitura e faz algumas anotações sobre o que você aprendeu “por aí”:

  • Toda narrativa é uma história.

  • Storytelling é uma ferramenta de venda e marketing.

  • Storytelling = Jornada do Herói (e você anota os passos de como construir).

  • Storytelling precisa transmitir uma mensagem.

  • Storytelling ajuda a seduzir.

  • Defina sua persona.

  • Storytelling ancora mensagens.

  • Conteúdo é história ou Storytelling é parte do conteúdo.

  • Precisa ter um personagem e um conflito.


Olhando para suas anotações, você decide se arriscar a escrever uma história. Para começar por algo fácil, você tenta escrever sua própria história de vida. Afinal quem mais teria autoridade para falar da sua própria vida, não é mesmo? E você pensa: “Essa vai ser fácil”.


Ao terminar, você lê a sua história e pensa: “Nossa, que lixo”.


Surgem muitas dúvidas na hora de escrever, e quando você olha para sua própria história escrita, ela está chata e ela não representa de fato o que foi a sua vida. Então, você tenta reescrever. E mesmo assim, não funciona. Extremamente frustrada, você chega até se questionar se sua história de vida foi desinteressante nesse nível!


Então, você ignora o fato de não ter conseguido e decide escrever o roteiro da apresentação, afinal você está estudando storytelling para esse fim, e não para escrever a sua própria história. Não é mesmo?





E de novo NÃO consegue escrever algo interessante. Você olha para a história e ela não convence. Ela não encanta. Ela não representa a realidade. Então, você chega a conclusão: “não nasci para escrever, sempre soube que eu não escrevia bem”.


Alguns anos depois, você está rodando as redes sociais e descobre uma empresa que é especializada em deixar comunicações mais interessantes. Você fica curiosa e começa a “fuçar” conteúdos produzidos por eles e descobre cai em um artigo:

“A descoberta do Verdadeiro Storytelling”


Estão banalizando o que é storytelling para te vender algo que no final é mais do mesmo. Durante muito tempo, empresas até conhecidas como especialistas em storytelling, banalizaram o termo e cometeram grandes erros que levaram pessoas a desacreditarem no poder que ele tem.


Então, afinal, qual a diferença do storytelling de mentira e do verdadeiro storytelling?


  • O Storytelling de mentira: Storytelling é a Jornada do Herói.

  • O Verdadeiro Storytelling: Na verdade, a Jornada do Herói é apenas um gênero de história muito utilizado para games e ficções. Porém, para retratar a vida real, é um crime dizer que a vida é uma jornada e que alguém é herói. A vida é muito difícil e a gente faz o melhor que a gente pode, com àquilo que temos disponível naquele momento.

  • O Storytelling de mentira: Storytelling é uma ferramenta de vendas ou marketing.

  • O Verdadeiro Storytelling: Na verdade, as premissas de uma ‘boa história bem contada’ ajudam pessoas e marcas a criarem relações de confiança e empatia, onde a consequência desta construção, pode ser a venda. Ou seja, em praticamente todas as comunicações onde você precisa motivar/incentivar pessoas a AGIR, as premissas do storytelling ajudam. Vendas, marketing, cultura, feedbacks, discursos, qualquer apresentação, etc.

  • O Storytelling de mentira: Storytelling é um meio para seduzir e emocionar.

  • O Verdadeiro Storytelling: Seduzir é emocionar o outro, utilizando apenas o lado positivo. Porém a vida não é assim. A vida é difícil. Uma boa história bem contada é a única forma de trabalhar a Razão (dados, fatos, números) e Emoção (sentimentos, pensamentos, propósito, significado, relevância) ao mesmo tempo, tornando tudo mais crível, realista, verdadeiro e profundo.

  • O Storytelling de mentira: Storytelling é conteúdo ou parte do conteúdo.

  • O Verdadeiro Storytelling: O conteúdo é o conteúdo. São os dados, os fatos, os números, as citações etc. A História é a FORMA, é o Contexto, é o todo. O Conteúdo está sempre disposto dentro da história.

Por fim, a definição do que é Storytelling


· O Storytelling de mentira: storytelling é a arte de contar histórias.

· O Verdadeiro Storytelling: “Uma boa história é uma progressão dinâmica, de eventos bem tramados e direcionados por um conflito, que levam a uma mudança significativa na vida do(s) protagonista(s) por conta de um aprendizado altamente relevante e universal, que o motivou/inspirou a agir em prol de um desejo profundo e significativo para sua vida.”


Explicação:


a) Uma boa história é uma progressão, pois os eventos estão dispostos em uma relação de CAUSA e EFEITO, onde uma cena “puxa” a outra, um slide puxa o outro, um evento puxa o outro.


b) Ela é dinâmica por conta das MUDANÇAS DE CARGA DE VALOR entre o positivo e o negativo, ou entre positivo e duplamente positivo, ou entre o negativo para duplamente negativo.


c) São eventos bem tramados, pois a trama é o que nos envolve com a história e o que nos dá a capacidade de imaginar ela acontecendo.


d) São direcionados por um conflito no início da história que TIRA A VIDA DO PROTAGONISTA DO EQUILÍBRIO e DESPERTA UM DESEJO PROFUNDO.


e) Levam a uma mudança SIGNIFICATIVA, pois ela é UNIVERSAL, PROFUNDA e RELEVANTE em sua vida.


f) São sempre sobre alguém e nunca sobre alguma coisa sem vida. Você só se empatiza pelo seu semelhante.


g) E por fim, toda boa história precisa ensinar alguém alguma coisa que seja altamente significativa e relevante para inspirar a audiência a agir.


Conclusão: a arte de contar uma boa história, seja no cinema, no mundo corporativo, na escola ou em casa, ainda sim ela é uma arte. Um storyteller é um grande influencer na nossa vida.



Storytelling: a arte de saber contar histórias


São influencers nas redes sociais, são grandes líderes, são pais e mães, são pessoas que “importaram” para dentro de nós, pois eles nos enxergam de maneira profunda e nos entendem e nos ajudam a viver nossas vidas.


Conhecer as premissas e as técnicas é fundamental, mas não são suficientes. Você precisa SE APAIXONAR PELO PROCESSO de olhar para o TODO em cada situação, e criar uma história que a represente de maneira realista e verdadeira. Dessa forma, você se tornará alguém extremamente interessante.


Ao terminar de ler o artigo, você fica pensando: “Caramba, é maio profundo do que eu imaginei. Talvez seja mais difícil do que eu imaginava. Não é a minha praia, então não vou nem tentar.”


Porém, quando você entende que esse é um diferencial para qualquer situação da vida, você começa a querer DOMINAR AS TÉCNICAS.


Pois você se destaca a cada reunião do trabalho. Você é chamada para um falar em evento e se destaca. Você assume uma nova posição e se destaca. Você precisa motivar um time e consegue. Você precisa conquistar a confiança de um cliente é consegue.


Tudo porque você TREINOU seu olhar para uma vida mais realista e verdadeira para qualquer situação.


No fundo, storytelling é uma ferramenta para se tornar alguém muito mais interessante.

Agora que você começou a entender o que é Storytelling de Verdade, o que você vai fazer?

Fique por dentro dos nossos conteúdos:

Instagram / Youtube / Academy / Studios

#Storytelling #OVerdadeiroStorytelling #SejaMaisInteressante #SejaLembrado #ThePlot

47 visualizações
logo_plot_home.png

Rua Doutor Renato Paes de Barros, 717

Itaim Bibi - São Paulo. CEP: 04530-001 | SP

MENU

Fale com a gente!

11 3900-2200

contato@theplotcompany.com

® The Plot 2020.
Todos os direitos reservados.