Buscar

Como usar o Storytelling para criar um vídeo envolvente?

A pergunta deste título pode parecer difícil para quem não está acostumado com storytelling. Afinal, criar um vídeo é uma arte, certo? Sim, é uma arte que une criatividade e método.



Além da criatividade, criar um vídeo envolvente significa ter a capacidade de unir uma série de componentes que precisam ser bem utilizados, com método, para que o produto final seja emocionante. Nada pior que um vídeo que não gere empatia na audiência e que não seja lembrado!


Traçando um paralelo, imagine um “chef” que produz um prato que é uma obra de arte da culinária. Este profissional vai combinar uma série de insumos escolhidos pessoalmente e que com o toque de sua arte e de acordo com um roteiro pré-determinado originará a obra prima que vai satisfazer os paladares mais exigentes e que fará com que o cliente nunca mais se esqueça da experiência incrível que teve ao comer aquela comida.


Ao criar o seu vídeo você tem que pensar como um grande chef. Você tem que escolher todos os insumos e componentes que utilizará. Precisa assegurar-se da qualidade de cada um destes ingredientes.





Precisa estar seguro de que cada um destes atende às necessidades de seu produto. Pode ser que tenha que improvisar. Entretanto mesmo esta ação – improvisar – é uma arte que num artigo futuro aprofundaremos.


Voltemos ao chef. Além de todos os ingredientes perfeitamente e cuidadosamente escolhidos, qual o componente mais importante que permite que o restaurante, mesmo na ausência do chef, continue produzindo a obra prima gastronômica?


- Este componente é a receita! O roteiro porra.


Corta de volta para nosso cenário de criação de vídeo. Dentre os componentes necessários à criação de um vídeo envolvente está o mais importante deles: o roteiro (ou receita).


Neste texto não vou discorrer sobre outros componentes para criar um bom vídeo como os técnicos: som, luz, captação, edição, efeitos sonoros, música, locução, etc, e outros que são necessários na elaboração do produto final, tais como o processo de edição e a direção. Vou me fixar no roteiro.





Depois de ler este texto, a mensagem mais importante que você precisa levar é: antes de qualquer coisa, e seja qual for o vídeo que você for fazer, construa um roteiro. Não importa se na sua cabeça, num guardanapo, no MSWord ou em pedra sabão. Escreva uma porra de um roteiro!


Sabe aqueles equipamentos que você cansou de quebrar porque, logo que recebeu, tirou da caixa e foi ligando na tomada ou montando sem ler o manual até que deu ruim? Pois é.


O americano tem uma sigla bem legal para isto – RFM. RFM significa “read the f... manual” ou leia a porra do manual. Portanto, antes de pegar o celular ou câmera e sair dando uma de Spielberg, pegue a merda de um papel e escreva um roteiro.


Ah tá Zé. Mas e daí? Falar é fácil... Como é que eu faço um roteiro?


É aí que entra o método galera. Sugiro que você dê uma estudadinha em Robert Mckee, Joni Galvão e entenda um pouco mais. Para adiantar, seguem algumas dicas:


  • Pense na história que você quer contar.

  • Evite os clichês.

  • Seja uma história simples ou complexa, crie uma visão clara da mensagem que você quer transmitir.

  • Escreva um resumo ou abordagem que descreve a história que você quer contar.

  • Assegure-se que sua história tem uma pessoa ou algo que seja o protagonista.

  • Tenha claro que esta história tem que apresentar valores que são comuns e que tocam aos seres humanos, os valores universais.

  • Construa o desenrolar de sua história de forma que o protagonista seja apresentado para a audiência até que aconteça algum incidente incitante que o afeta e que marca a história deste protagonista, forçando-o a lidar com uma situação que poder adversa ou favorável.

  • Gere os conflitos para o protagonista com um incidente incitante que vai forçá-lo a lidar com forças antagônicas e favoráveis, positivas ou negativas e que vão agir sobre este ele ao longo da história.

  • Conclua a história com o protagonista resolvendo o conflito ou conflitos que foram criados até que os conflitos sejam resolvidos.

  • Leve a resolução para um um final feliz, triste ou ambos.


Estas dicas ou regritas básicas aí acima não são o santo graal para um que você se transforme num novo Hitchcok mas se você levá-las em consideração antes de sair filmando posso assegurar que seu produto final será sempre melhor do que um vídeo feito sem nenhum planejamento e sem que você tenha definido claramente e previamente a mensagem que gostaria de passar de uma forma memorável.


Coloque a cabeça para funcionar, segure o dedo para não sair filmando antes de ter um bom roteiro e boa sorte!!!!

7 visualizações0 comentário
logo_plot_home.png

Rua Doutor Renato Paes de Barros, 717

Itaim Bibi - São Paulo. CEP: 04530-001 | SP

MENU

Fale com a gente!

11 3900-2200

contato@theplotcompany.com

® The Plot 2020.
Todos os direitos reservados.